Decorreu na Universidade de Aveiro, no dia 18 de julho, mais uma discussão, promovida pelo Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida. Levantou desta vez muitas dúvidas quando abordou o direito a pedir para morrer, por parte de pessoas com demência ou com tendências suicidas. Outra das questões debatida aconteceu à volta do que é ler mais →

“Morre-se mal em Portugal. Os hospitais estão mal preparados para a fase final”

No debate “Decidir sobre o final da vida”, que decorreu na Universidade de Aveiro, Nuno Miranda, médico do IPO de Lisboa, lamentou a falta de acompanhamento aos doentes em fase terminal nos hospitais portugueses Nuno Miranda, diretor do Programa Nacional para as Doenças Oncológicas, acredita que a longo prazo não há outra solução para o ler mais →

Crianças não têm autonomia para decidir sobre o fim da vida

Pediatras e psicólogos defenderam ontem, na conferência Decidir sobre o Final da Vida, a necessidade de se apostar numa rede de cuidados paliativos pediátricos para que crianças doentes possam estar em casa com a família. A eutanásia em idade infantil levanta problemas diferentes dos que existem quando se fala de adultos, salientaram ontem os pediatras ler mais →

Eutanásia: “Médicos não estão preparados para isto”

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, reconhece que os médicos não estão preparados para a eutanásia e considera que a despenalização pode ter consequências graves, na medida em que o tempo da relação médico-doente é cada vez mais curta, comprometendo a informação ao doente. O bastonário falava esta terça feira em Braga, na ler mais →

Eutanásia: Bastonário da Ordem dos Médicos quer referendo

Em mais um ciclo de debates “decidir sobre o final da vida”, maioria dos convidados manifestaram-se contra o modelo já aplicado em países como a Holanda e a Suíça. O bastonário da Ordem dos Médicos, “Decidir sobre o final da vida”reafirmou ontem, no ciclo de debates “Decidir sobre o final da vida”, a necessidade de ler mais →

Que lei queremos e como garantir que respeita todos

Michele Renaud, membro da Academia de Ciências de Lisboa acredita que avançar para o direito à morte é enveredar por um caminho cheio de perigos. E, dado o primeiro passo, não será possível voltar para trás. Alguns dos riscos, aponta, estão já bem visíveis nos países europeus como a Bélgica ou a Holanda que legalizaram a ler mais →

Avançar ou não

O médico Rui Mota Cardoso é daqueles a quem ocorrem mais perguntas que respostas quando pensa em eutanásia e no suicídio assistido. Muitas dúvidas do ponto de vista profissional, mas uma ideia já mais clara, do ponto de vista pessoal. E quem assume esse papel? João Semedo, co-autor do ante projeto de lei do Bloco ler mais →

Sedação até à morte

Aliviar o sofrimento e desvanecer a consciência com medicamentos, até que a vida se acabe lentamente pode ser uma alternativa à morte assistida. Pelo menos vale a pena pensar nisso., sugere o professor de filosofia, Michele Renaud, opositor convicto da eutanásia. É uma mistificação responde João Semedo. Um dos autores do anteprojeto do Bloco de Esquerda que despenaliza ler mais →

“Se existe o direito ao suicídio, também existe ao homicídio”

Eurodeputado Paulo Rangel foi o mais polémico dos oradores do debate “Decidir sobre o final da vida”, onde visões pró e contra a eutanásia se confrontaram O Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV) promoveu ontem, no Porto, a segunda sessão do ciclo de debates “Decidir sobre o final da vida”, que ler mais →

Será que se pode resumir em 20 minutos um debate de duas horas e meia? Não. Mas podemos tentar.

A troca de argumentos sobre o final da vida é entre um filósofo, José Gil, uma ex- ministra da saúde, Maria de Belém e dois médicos: o investigador Sobrinho Simões e o especialista em bioética, Walter Osswald. Quatro vozes que se juntaram na Faculdade de Medicina de Lisboa e marcaram o início de um ciclo ler mais →